28 January 2020

A "radicalíssima" proposta da Joacine, afinal, é igual à do perigoso esquerdista Macron (e de vários outros extremistas do "marxismo cultural"... desde há séculos)

Kirsty - The Life And Songs Of Kirsty MacColl

Monarquia pimba
(uma redundância)

"Mas quem será o pai (e a mãe) das crianças? 
Eu sei lá, sei lá..."

IMPRESSÕES  DIGITAIS


Meia hora depois de ter escutado o discurso de tomada de posse de Donald Trump enquanto presidente dos EUA, Billy Bragg pegou na guitarra e, de jacto, sobre "The Times They Are A-Changin’’, de Bob Dylan, inventou uma versão inquietantemente actualizada, "The Times They Are A-Changin’ Back" - “Come Mexicans, Muslims, LGBT and Jews, keep your eyes wide for what’s on the news, for President Trump is expressing his views, and I fear that the mob he’s inciting will soon break your windows, burn down your schools, for the times they are a changin’ back” – que, nessa mesma noite, cantaria num concerto em Salisbury. Afinal, nada de muito novo nem no método nem na atitude: nunca hesitou em confessar que o verso de abertura de "New England" – a canção que Kirsty MacColl, em 1983, converteria num êxito – fora tomado de empréstimo a "Leaves That Are Green", de Simon & Garfunkel, e que a melodia se inspirara bastante em "Cowboy Song’", dos Thin Lizzy (o que nem era escancaradamente óbvio), tal como, desde o início, não se deslocou um milímetro do lugar de "songwriter" politicamente activo. 


Quando, há três anos, publicou o livro Roots, Radicals and Rockers (sobre a história do "skiffle"), em entrevista ao “Guardian”, deixou razoavelmente claro o seu ponto de vista na inesgotável polémica acerca das relações entre música e política: “A música pode contribuir para os processos de transformação mas apenas as pessoas podem concretizar a mudança. A música, só por si, não possui essa capacidade de actuar mas pode oferecer uma perspectiva diferente”. Um pouco ao jeito de um Woody Guthrie (de quem, com os Wilco, musicou uma série de textos inéditos) dos tempos actuais, em mais de cinco dezenas de álbuns, EP e singles, programas de rádio e documentários, há impressões digitais suas em todas as causas, lutas e trincheiras, do que este duplo CD Best of Billy Bragg at the BBC, 1983-2019 – compilando gravações dos programas de John Peel, David Jensen, Janice Long, Phill Jupitus, Bob Harris e Tom Robinson – é um exaustivo panorama.

27 January 2020


Dominic Bradnum - Neon Graffiti (for Guy Debord and The Situationist International)


(com a colaboração do correspondente do PdC em Pequim)
Carsick Cars - "Zhong Nan Hai"

Memória de elefante (VI)

A beatagem social-fascista e o MPLA/José Eduardo dos Santos/Isabel dos Santos (daqui)

No já justamente célebre "case study" de tricologia política, uma nova etapa: a intrigante migração capilar do crâneo para a face (exactamente quando "the beard phase is on its way out")

(daqui)

25 January 2020

Foster Parents - Idle Archipelago

(1º DIA DO 10º ANO A SEGUIR AO) ANO DO TIGRE (CXLVIII)

Islamicat: Former pet of Abu Bakr Al-Baghdadi, now nomadic jihadicat, dedicated to establishing the Pusslim Catliphate. Hates dogs, pigs, mice, infurdels; loves Klaw'ran

24 January 2020

Memória de elefante (V)


Memória de elefante (IV)

Só repararam agora?.. 18 páginas sobre Isabel dos Santos no "Maka Angola" (desde 2013)


+ um bombom
Memória de elefante (III)

O(s) abafado(s) caso(s) Kangamba




+ Kangamba no "Maka Angola"
Memória de elefante (II)

A CRÓNICA DE PEDRO ROSA MENDES POR OCASIÃO 
DO "PRÓS & CONTRAS" ENCENADO EM LUANDA, EM 2012,
QUE LHE VALEU A EXPULSÃO DA RDP 

(repescada daqui)

23 January 2020

Musica Reservata ‎– Music from the 100 Years War

Mas se os documentos foram obtidos por um hacker - português, angolano ou paraguaio, seja com que objectivo for - que entrou nas redes informáticas das empresas do maravilhoso casal, isso apenas pode significar que são documentos verdadeiros! (sequência daqui)

A menos que tenham as suas camaradas russas a acolhê-los no check-in, não se antevê grande sucesso à operação



Edit - Convenientemente adaptada, esta anedota rambém se aplica: "A man dies and goes to Heaven. After several years in Heaven, he gets bored and decides to go on vacation to see Hell. So he packs his bags and goes on the trip. Upon arrival in Hell, he's taken on a tour. It's the most amazing place he's ever seen: warm, but not hot, the women are beautiful, everyone's very friendly and even Satan himself stops by his hotel room just to say hello. 

When the guy goes back to Heaven, he decides to move to Hell, because of how amazing it is. So he packs his bags again, and books a one way ticket to the 9th circle. But upon arrival, he's stripped naked and thrown into a searing hot pit of lava. As he sinks, he notices Satan walking by and yells out "What the hell?! Last time I was here, it was all beautiful women and nice people. What happened?" Satan looks back at him and, recognizing the man, laughs and answers: 'Don't mistake tourism for immigration!'"