22 May 2015

The Apartments - "She Sings To Forget You"

(imagens de Solaris, de Andrei Tarkovsky, 1972, montadas por David McClymont/Orange Juice)


O serviço publico de televisão volta a ter programas de palhaços!!!


A dois dias da comemoração dos seis meses desde que o recluso nº44 passou a ser conhecido como recluso nº44, recordemos a admiração que por ele tinha um homem "exigente e metódico" que se emocionava com "o lado dos afectos"

... e como ele acarinhava os miúdos promissores do Largo do Rato Mickey!...
Deve ser por isto que 

"... se se tratavam de membros de claques, se se tratavam de membros de grupos rivais, se se tratavam de membros com outros tipos de motivação..." (ao 1'42")
(aqui)
Rozi Plain - "Jogalong"


Farinha do mesmo saco

"Os treinadores de futebol (especialmente o do FC Porto e o do Benfica) devem ser com certeza as duas personagens mais longa e assiduamente ouvidas da vida pública portuguesa. Como o dr. Cavaco Silva, repetem sem excepção trivialidades do mais sólido optimismo e prometem, sem prometer, o mais glorioso futuro para amanhã" (VPV)

21 May 2015

É verdade, sim senhor, "a escola vai mudar brutalmente nos próximos 20/30 anos" - especialmente porque, não existindo trabalho para a grande maioria, não haverá qualquer utilidade em alfabetizar mão-de-obra desnecessária
Claro que sim 
(mas convém contextualizar) 

The Apartments - "Black Ribbons"


A não perder: as "grandes virtudes" e profundíssimas ideias do proprietário do PIMP * são imensas e inesgotáveis

* (é favor excluir uns quantos posts alheios ao tema principal)
Tenham mas é juízo - em vez do patético discurso neo-realista, o que deveriam reivindicar era provas seriamente exigentes e não, desde o 1º ciclo até à universidade, os cházinhos de tília que envergonhariam qualquer estudante digno do nome e, sobretudo, o Crato-pré-ministro

20 May 2015

Comprava-lhes uma esferográfica? 
Não, não comprava (sapsnjpa - VI)



MEMÓRIA FERIDA

  
Em Setembro de 2009, o City Council de Brisbane, na Austrália, propôs a realização de uma votação online para decidir qual o nome que haveria de ser atribuído a uma nova ponte sobre o rio Brisbane, até aí, conhecida como Hale Street Link. Com mais do dobro dos votos do segundo classificado numa "shortlist" de 11 candidatos, os vencedores foram os Go-Betweens, a lendária e sempre insuficientemente amada banda de Grant McLennan e Robert Forster – por essa altura, já inexistente, após a morte de McLennan, três anos antes. A devoção dos habitantes de Brisbane bem poderia, contudo, estender-se a outros nativos da cidade, os Apartments, de Peter Milton Walsh, também, por coincidência, membro fugaz da primeira formação dos Go-Betweens. 



Até porque o povo melómano da Austrália tem para com ele uma enorme dívida: não só o magnífico primeiro álbum da banda (The Evening Visits... And Stays For Years, 1985, reeditado, agora, pela nova-iorquina Captured Tracks) não foi sequer publicado no seu país, como a posterior e errática trajectória foi, essencialmente, suportada pelo reduzido mas fidelíssimo núcleo de seguidores europeus (particularmente, franceses) e, em menor grau, norte-americanos, o que ajuda a compreender o motivo porque o actual No Song No Spell No Madrigal, sucessor de Apart (1997) e sexta gravação em 30 anos, surge por via da gaulesa Microcultures. Ainda que fechasse amanhã as portas e não pusesse no mundo nem mais um só disco, valeria a pena ter existido apenas por este: obra de "songwriter" literato capaz de incluir na lista de favoritos John Cassavettes, Jacques Tourneur, James Salter, Jacques Brel, Peter Bogdanovich ou – pedra de toque! – Malcolm Lowry, mas que facilmente confessa ter sonhado ser um dos Walker Brothers, No Song No Spell No Madrigal respira a impuríssima atmosfera do melhor "film noir" traduzida para as páginas de um diário irremediavelmente ferido pela memória do filho, Riley, morto aos 21 anos (“I carried you on my hip, at first, I carried you on my shoulders, I carried you to a long black car, you will never get any older”). Numa espécie de impossível bissectriz entre os Blue Nile e os Go-Betweens de Liberty Belle, infindavelmente “looking for some other town where the steps go up instead of down”.