16 September 2016

Eis a carinha linda do bravíssimo moço que, rendido perante a obra-prima do chefe (finalmente, o Nobel será seu!...), sem pedir autorização ao chefe, não hesitou em escrever no jornal do chefe quão sublime era a pena do chefe!

6 comments:

hmbf said...

«Esta carinha há muito faz as delícias dos meus sonhos eróticos». Saraiva dixit.

alexandra g. said...

Embora todos beber algo que permita o esquecimento (é que, porra, em certas coisas, a memória está sobrevalorizada, mesmo que na aparência)?

João Lisboa said...

:-)))

Isaac Berto said...

Bring out the Gimp.

João Lisboa said...

:-))))))

Isaac Berto said...

E o melhor de tudo é o Zed Saraiva que fica implícito, à solta na nossa imaginação.