24 May 2016

"SOS? Credo, Jesus Maria José! Há uma coisa que eu não entendo. A nossa direita é toda descendente de lenhadores e campinos ou de guerreiros que combatiam os mouros, entroncando todos directamente no Viriato, que comia ratos e romanos vivos. Muitos ainda sentem saudades do tempo em que levavam porrada dos professores. Os filhos deles vão de férias para campos militares, onde acordam às cinco da manhã para fazer corridas e flexões, depois de rezarem o terço, porque podem ainda vir a ter de defender a pátria dos bárbaros. As crianças da esquerda é que, coitadas, é só brinquedos e chocolates e não podem apanhar correntes de ar, porque são mimadinhas. Então e agora, só porque os filhos podem ser obrigados a mudar de escola ao fim de um ciclo, ficam em pânico? Os apelos e cartazes que tenho visto, são de partir o coração. O bullying que o Estado está a fazer com os meninos parece ser pior do que se os enfiassem de cabeça para baixo num caixote do lixo. Dá vontade de pegar num dos petizes e levá-lo para casa, embrulhado num cobertor. Ora, o meu filho já andou em três escolas: do infantário para o primeiro ciclo e daqui para o segundo e lá se aguentou. Parece-me. Ou então, com tanto abanão, ainda se torna serial killer, a segunda pior coisa que lhe pode acontecer a seguir a filiar-se no CDS" (daqui via I)

8 comments:

alexandra g. said...

Olá, alto valor! :*

João Lisboa said...

:-)

Luis M. Jorge said...

Já o convidei para escrever no estaminé, que bem precisa, e népias.

João Lisboa said...

Vou pensar nisso.

(pensando)

Luis M. Jorge said...

Não era você, era o caramelo.

João Lisboa said...

Ah, pensei que era uma "recaída" daquele proto-projecto colaborativo de aqui há atrasado...

:-)

Anonymous said...

Uma coisa é certa, já cá cantam 62:
"Deitar cedo e cedo erguer, dá saúde e faz crescer.".
A malta de esquerda é, normalmente, adepta da vida fácil, da borga e da irresponsabilidade.
É tudo ao molho e fé no colectivo...
Sempre a destruir, sempre a mandar abaixo, sempre, sempre...
É malta que não aprendeu. Enquanto cresceram andaram de volta dos gambuzinos intelectuais do marxismo.
E depois comportam-se na vida como se a culpa fosse sempre do sistema, do vizinho do lado, da puta que não fez bem o bico. etc, etc, etc.

Quanto à direita, já está tudo dito. É o que há.


João Lisboa said...

?