11 May 2017

Bem-vindos ao Planeta Espadinha, aliás, a Oxbridge dos pobrezinhos
(nem mediterrânicos nem prussianos
mas cheios de bons modinhos)
Código de vestuário

"Todos os colaboradores permanentes do IEP adoptam um código de vestuário com a decência e formalidade adequada às responsabilidades que detêm, o que inclui, para os homens, casaco e gravata, e, para as senhoras, decência correspondente. Na sala Sir Winston Churchill e nos gabinetes de trabalho é esperado que os homens possam tirar o casaco, mas não a gravata. Na sala D. Henrique é esperado o uso de casaco e gravata.

Em todo o espaço do IEP, não é autorizado o uso de shorts, T-shirts ou chinelos, sapatos de ténis ou blue-jeans. Estas regras aplicam-se apenas aos colaboradores permanentes do IEP e não aos alunos ou a visitantes, cuja eventual vulgaridade não deve, em princípio, merecer reparo.

Em contrapartida, trajes nacionais, regionais, locais ou específicos de instituições, por mais excêntricos, serão sempre respeitados e bem vindos. Todos os docentes do IEP, incluindo docentes convidados, são enfaticamente encorajados a usarem casaco e gravata nas suas aulas e tutorias, podendo tirar o casaco, mas não a gravata. Os docentes que tenham contratos com o IEP devem encarar o código de vestuário como parte do seu contrato voluntário com o Instituto.

Pauliteiros de Miranda - traje regional, excêntrico, mas respeitado e bem-vindo  

Gentlemanship

As regras acima expostas deverão ser aplicadas sem rigidez prussiana e sem laxismo mediterrânico. Portugal é um país atlântico (e não mediterrânico), fundador da mais velha aliança do mundo, bem como do mais velho tratado de comércio livre, e pioneiro dos Descobrimentos. No nosso pequeno IEP da UCP, apreciamos tentar cumprir o dever de honrar as nossas nobres tradições". (preciosidade descoberta em Da Direita à Esquerda - Cultura e Sociedade em Portugal, dos Anos 80 à Actualidade, de António Araújo)

3 comments:

Ana Cristina Leonardo said...

já me ri tanto a imaginar o Espadinha por pauliteiro... :)))

João Lisboa said...

:-))))

Nuno Calado said...

Once a grunho, always a grunho. Neste caso, um Sir Grunho.