31 March 2012

QUEIRAM TER O IMENSO PRAZER DE CONHECER O ESTILISTA DA LÍNGUA PORTUGUESA, MIGUEL LARANJEIRO!

RIGOROSAMENTE NENHUM?...

"(...) o facto de não existir rigorosamente nenhum país europeu com exames no 4º ano deveria ser motivo para ponderação. Mas para o Governo português, isso parece pouco importar". (Pedro Adão e Silva, no "Expresso de hoje)

"Nenhum país da Europa tem exames no 4º ano de escolaridade. Querem pior? Quase nenhum tem provas com a possibilidade de reter alunos durante a escolaridade obrigatória. Mas Nuno Crato fará de Portugal um exemplo". (Daniel Oliveira, no "Expresso" de hoje)

Não, não fará:




...e há mais (e mais interessante) aqui e aqui.
EM RIGOR, ATÉ ERA MAIS ASSIM: COM A EXTINÇÃO DE 95% DAS INÚTEIS FORÇAS ARMADAS, TALVEZ FOSSE POSSÍVEL NÃO FAZER TANTO SANGUE NOS OUTROS CORTES

Funcionários públicos também querem progressões em 2012: "O descongelamento das promoções dos militares e das forças de segurança, previsto no Orçamento Rectificativo (OR) de 2012, abriu uma caixa de Pandora. Funcionários públicos e carreiras especiais como os enfermeiros, professores do ensino básico e secundário, docentes e investigadores do ensino superior exigem que o Governo alargue as promoções e as progressões a todos".
LIMPAR O PÓ AOS ARQUIVOS (II)
(com a indispensável colaboração do R & R)


(clicar na imagem, depois, em "ver imagem", a seguir, usar a lupa)

(2001)
CLARO QUE FIRME MAS FLEXÍVEL, IMPLACÁVEL MAS TOLERANTE, CRUEL MAS MEIGUINHO

("Expresso" de hoje)
L'OSSERVATORE ROMANO (XXII)

Paixão (não vais fugir de mim)! 2

(cortesia de mr. apostate)

30 March 2012

E, DE ACORDO COM AS ESTATÍSTICAS DO BLOGGER, O "ALL TIME TOP 3" DE POSTS DO "PROVAS DE CONTACTO" É: 


1 - ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU (9.917 pageviews) 






























3 - ALIAA ELMAHDI (7.183 pageviews)

E COMO PUDERAM ESQUECER-SE DE EXIGIR - NO MENU, NAS FACTURAS E NOS GUARDANAPOS - O LOGO DO "FADO PATRIMÓNIO DA HUMANIDADE"? (PARA NÃO FALAR NA GENTIL OFERTA OBRIGATÓRIA DO BUSTOZINHO DO EUSÉBIO E DO PASTEL DE NATA DE CORTESIA)
COMEÇA A DESENHAR-SE UM PADRÃO *...  




Guttenberg

 26.08.96

* singelo contributo para uma "teoria dos padrões que começam a desenhar-se".
STREET ART, GRAFFITI & ETC (LXXXII)

Lisboa, Portugal, 2012 (há um ano era assim)



GEBOS DA BOLA QUE NÃO SÃO OS GEBOS DA BOLA DO BENFICA MAS SÃO MUITO PARECIDOS PREPARAM-SE PARA DENUNCIAR VEEMENTEMENTE A MADRASSA BENFIQUISTA DO "NEW YORK TIMES" E EXIGIR O "RESPEITO PELA DIFERENÇA E PELA INDIVIDUALIDADE, O FOMENTO DA PLURALIDADE DE GOSTOS E O CIVISMO"...



... MAS CONFRARIA DOS APRECIADORES DE VINHOS DO CENTRO E SUL REVOLTA-SE  CONTRA O FAVORECIMENTO DOS VINHOS DO DOURO UTILIZADOS COMO SUBORNO NA DIRECÇÃO GERAL DE ECONOMIA DO CENTRO!
RIGOROSAMENTE DE ACORDO COM AS PREVISÕES

(do "Sol" de hoje)
L'OSSERVATORE ROMANO (XXI)

Dos milagres 4

(cortesia de mr. apostate)
... E AINDA POR CIMA ANDARAM A EXPLORAR O DESGRAÇADO... 

29 March 2012

Eis uma notícia que, sem dúvida, "pode desencadear, de forma errónea, percepções negativas do serviço policial":

PSP diz que é preciso "combater" notícias "menos positivas"



... mas claro que "os termos utilizados não estarão bem empregues": afinal, era só "uma tentativa de limpar a imagem". E o asseio nunca fez mal a ninguém.

(2012)



(2012)
E AINDA HÁ GENTE MALÉVOLA QUE CONTINUA A DIFAMAR O ESTUDANTE PARISIENSE DE SCIENCES-PÔ... NÃO FOI ELE QUEM CRIOU A "EMPRESA NA HORA"?

Saúde faz ajuste directo a empresa de ex-dirigente criada um mês antes: "Fernando Mota foi vice-presidente da Administração Central do Sistema de Saúde até Dezembro. Em Fevereiro criou a empresa Lenus, com sede em sua casa. Em Março ganha contrato de 54 mil euros" ("Público" de hoje)

(2012)

28 March 2012

SEJA COMO FOR, VER "RELIGIÃO" COLOCADA NA MESMA LISTA NEGRA DE "PORNOGRAFIA", "CRIME" E "BRUXARIA" NÃO DEIXA DE SER UMA NOTÍCIA SIMPÁTICA


War On Words - NYC Dept. Of Education Wants 50 ‘Forbidden’ Words Banned From Standardized Tests: "Fearing that certain words and topics can make students feel unpleasant, officials are requesting 50 or so words be removed from city-issued tests. The word 'dinosaur' made the hit list because dinosaurs suggest evolution which creationists might not like. 'Halloween' is targeted because it suggests paganism; a 'birthday' might not be happy to all because it isn’t celebrated by Jehovah’s Witnesses".

(2012)
E O PAPÁ E A MAMÃ QUE SÃO TÃO FIXES E PRATICAMENTE GUARDAS VERMELHOS DO PRESIDENTE MEXIA TSÉ-TUNG, NÃO SERIAM CAPAZES DE PUXAR UNS CORDELINHOS LÁ NO "LUGAR MÁGICO" ONDE TRABALHAM, PARA ACABAR COM A POUCA VERGONHA DAS RENDAS QUE, SEM QUERER (PORQUE ELES SÃO TÃO COOOOL!...), CONTINUAM A EXTORQUIR AO PESSOAL?



(2012)

27 March 2012

VINTAGE (LXXVII)

Miracle Legion - "Snacks And Candy"



(2012)
O HOMEM PODERÁ TER NOME DE CANTOR ROMÂNTICO BRASILEIRO MAS É DE UMA PERSPICÁCIA POLÍTICA FULGURANTE

Arménio Carlos garante que a 'dinâmica criada pela greve levou a aumentos'

... mais outra "greve geral" e o "rating" da pátria pula para triple A.

(2012)
VÁ, EXPERIMENTEM IMPEDIR-ME DE FUMAR E LOGO VÊEM...




Edit: ... "sortez de la paille les fusils, la mitraille, les grenades"...

(2012)
L'OSSERVATORE ROMANO (XX)

Paixão (não vais fugir de mim)! 1

































(cortesia de mr. apostate)

(2012)
O MARAVILHOSO MUNDO DA BLOGOCOISA (X)

Em expedição pelo arquivo - label "The National" -, descubro um inesperado enriquecimento da caixa de comentários.

(2012)

26 March 2012

A BÍBLIA, ENTÃO, IA QUASE INTEIRINHA PARA A FOGUEIRA


(2012)
O ELOGIO DA CANÇÃO POP


















Andrew Bird - Break It Yourself



















The Magnetic Fields - Love At The Bottom Of The Sea

Embora não me tenha apercebido de que Andrew Bird tenha, alguma vez, emitido opinião sobre o trabalho de Stephin Merritt – e vice versa –, suspeito seriamente que Bird é muito capaz de achar o compositor dos Magnetic Fields irritantemente cínico e rudimentar e que este terá bastante pouca tolerância em relação aos labirínticos bordados musicais e poéticos do outro. O que, perante a evidência ofuscante da excelência de ambos, não deixaria de constituir uma espécie de homenagem involuntária à riquíssima diversidade da canção pop, capaz de conter em si praticantes tão radicalmente distintos. A publicação praticamente simultânea de Break It Yourself e Love At The Bottom Of The Sea não é senão mais uma bela oportunidade para o constatar.



De certo modo, um e outro se colocam, deliberadamente, em pontos de viragem: Merritt, após a "no synths trilogy" (i, de 2004, Distortion, de 2008, e Realism, de 2010), dogma auto-imposto que inventou como escapatória ao pesadíssimo fardo de sobreviver à magnificência de 69 Love Songs (1999), regressa aos prazeres de manipular os pequenos teclados de música enlatada; Andrew Bird, mago supremo do barroco sonoro laboriosamente montado em estúdio, opta, agora, por um registo quase-live, no mítico celeiro familiar do Illinois. Mas – coisa facilmente previsível a partir, para aí, do quinto álbum de qualquer músico – nem assim se livraram de algum enfastiamento crítico, invariavelmente dedicado a estabelecer tabelas comparativas com a obra anterior. Pelo que convém declarar, desde já, que, sim, Love At The Bottom Of The Sea não é outro 69 Love Songs e de Break It Yourself não se deve esperar o mesmo (ou “melhor”) que de & The Mysterious Production Of Eggs (2005) ou Noble Beast (2009). E acrescentar, logo a seguir, que são ambos muito bons.



Bird poderá ter simplificado as regras e desbastado a arquitectura mas os nós cegos que aperta e, agilmente, desata como quem viaja entre a Irlanda e Trinidad, a bordo de uma caravana cigana onde só se escuta Debussy e Bartok e que, pelo caminho, dá boleia a Annie Clark (que exige ouvir duas ou três malhas dos Smiths), continuam a ser o género de exercício não propriamente ao alcance de todos e que, ao fim da primeira meia dúzia de compassos, nos mantém em bicos de pés até ao final do álbum. Stephin Merritt, esse, limita-se a fazer aquilo que só lhe exigimos de que nunca desista: preencher-nos os ouvidos de melodias autocolantes sobre as quais ele, Claudia Gonson e Shirley Simms derramam secas ironias às suaves delícias do ciúme (“So I've taken a contract out on you, I have hired a hitman to do what they do, he will do his best to do his worst, after he's messed up your girlfriend first”), à castidade pré-matrimonial (“Despite my beauty and the scent of jasmine, could you be happy in the knowledge of sin? Although it may not be a crime in our state, I love you, baby, but God wants us to wait”) ou às realíssimas dificuldades de uma existência monogâmica (“With the only boy in town, with the only available male, in the loneliest possible world, there would be no daily betrayal”). Aquelas coisinhas ternas que Rick Santorum prefere que lhe sussurrem ao ouvido.

(2012)
JOSÉ GOULÃO, POR FAVOR, TENHA RESPEITO PELOS ANIMAIS



"Andei na direcção deles a dizer que era jornalista em voz alta e fiz sinal para que me deixassem passar para trás da linha que estavam a fazer e foi aí que me bateram pela primeira vez na cabeça e caí ao chão. O resto as imagens mostram como foi, sendo o resultado dois cortes na cabeça, 6 pontos, ombro, costas e joelhos amassados mas acima de tudo uma sensação de medo e impotência perante tudo o que estava a acontecer. A cara do polícia que me bateu era de raiva, até a língua estava a morder. Repeti não sei quantas vezes que era jornalista, em pânico, e nem assim ele parou, ainda deu com mais força. Nunca pensei que aquilo pudesse acontecer cá.

Ainda mais revolta causa ver as imagens da Patrícia a ser agredida daquela maneira! Como é possível?! Desde quando uma mulher com uma câmara fotográfica é ameaça para alguém? Não sei se foi premeditado ou não, mas a falta de inteligência daqueles animais não alcança que, para cada câmara que tentam que não fotografe ou filme a sua brutalidade, há dezenas de outras a captar o que está acontecer". (aqui)

(2012)
O MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO TEM TÃO POUCO DE QUE SE OCUPAR QUE VÁ PERDER UM SEGUNDO QUE SEJA COM AS MARIQUICES DOS GEBOS DA BOLA?


... notar que a pobre "Atirei o pau ao gato" se converteu já em zhdanoviana "canção de exaltação ao Benfica" e o fino recorte literário de "se acabem de uma vez por todas com práticas".

(2012)

25 March 2012

Num universo-Monty Python paralelo, a perfeição existe: chama-se Ordem dos Cavaleiros de Kolob e os seus membros "recrutam-se entre os diferentes movimentos de Santos dos Últimos Dias, Franc-Maçonnerie, movimentos conexos, e pessoas de boa vontade"



Imagino que alguém deverá ter explicado a Mitt Romney - porque isso lhe será indispensável quando tiver de se encontrar com a OPEP - que "toda a ordem é uma investigação da gasolina exacta de Deus".

(2012)
SEM COMENTÁRIO




+ a formidável saga dos Legionários de Cristo

(2012)
VINTAGE (LXXVI)

Polyrock - "Romantic Me"



(2012)

(2012)


(cortesia de mr. apostate)

(2012)

24 March 2012

PREFIRA PRODUTOS COM A CERTIFICAÇÃO DE QUALIDADE DA MARCA "VATICANO S.A."!

Papa chega ao México para “desmascarar o mal” do tráfico de droga


(cortesia de mr. apostate)

(2012)
SEGURANÇA PÚBLICA

“Quando dão a ordem para avançar, é quase impossível travar-nos, já não ouvimos ninguém, deixa de haver uma linha de pensamento, e a questão de serem fotojornalistas ou cidadãos nem se nos coloca naquele momento: a nossa função é limpar o local”. (...) Este polícia de choque lembrou que “na greve de 24 de Novembro detivemos um homem que estava a dar pontapés nas grades frente à Assembleia da República, mas quando já estava algemado disse que pertencia às brigadas de investigação criminal da PSP”. (aqui)

(2012)
MAS, FRANCISCO, AS PERSONAGENS NÃO FALAM ORTOGRAFICAMENTE E O PROBLEMA NÃO É A ORTOGRAFIA...

"O que aconteceu em Longe de Manaus [livro de FJV] foi um confronto muito sério com a língua, com o português. De facto, metade do livro está escrita com ortografia de Portugal e a outra metade com ortografia do Brasil, porque eu não consegui imaginar as personagens brasileiras a falarem como se fossem portuguesas" (Francisco José Viegas, secretário de Estado da Cultura, ao "Expresso" de hoje")

(2012)
SIM, SIM, SIM, O MUNDO É INDISCUTIVELMENTE UM LUGAR MARAVILHOSO ONDE SÓ SE ABORRECE QUEM QUER!

(2012)

23 March 2012

COM UM CURRÍCULO DESTES, É MAIS DO QUE JUSTO E MERECIDO



Edit (24.03.12): já com dois (I e II) novos capítulos (à suivre) ;

capítulo III (mas "não pela sua competência técnica")

(2012)
HÁ UMA RECONFORTANTE SENSAÇÃO DE DEVER ANTIRELIGIOSO CUMPRIDO QUANDO, NUM JORNAL ESCOLAR, SE LÊ QUE A PÁSCOA É IMPORTANTE PORQUE "É A ALTURA DO ANO EM QUE AS FÁBRICAS PRODUZEM MAIS OVOS DE CHOCOLATE" E QUE  TEM COMO OBJECTIVO "CELEBRAR A EXISTÊNCIA DO COELHINHO DA PÁSCOA"



(2012)
O MUNDO É UM LUGAR MARAVILHOSO ONDE, POR EXEMPLO, SE PODE DESCOBRIR QUE O JMF NÃO VÊ PROBLEMA DE MAIOR NO FACTO DE, NAS ESCOLAS PÚBLICAS, SE APLICAREM OS FOSFÉNICOS ENSINAMENTOS DE UMA REINCARNAÇÃO DE VASCO DA GAMA

(2012)
DANDO UM SALTO RÁPIDO À TASCA DA ESQUINA, AVENTALAGEM 1 - BATINAS 0

(2012)
COMO É DIFERENTE A INSURREIÇÃO EM PORTUGAL... (parece que a bófia foi barbaramente agredida com... errr... chávenas de café)




(daqui)

+ fotos

(2012)

22 March 2012

L'OSSERVATORE ROMANO (XIX)

Verdes anos 2


(cortesia de mr. apostate)

(2012)
EXCLUSIVO "PROVAS DE CONTACTO": FINALMENTE DESCOBERTA A RUA DA RESIDÊNCIA DO ESTUDANTE DE SCIENCES-PÔ, EM PARIS!


Pedida a reabertura do inquérito ao diploma de Sócrates

(2012)
O P.O.V.O. NÃO ESTÁ RESIGNADO E APÁTICO! SÓ PRECISA DE CAUSAS JUSTAS QUE MOBILIZEM E DESPERTEM AS ENERGIAS VIRIS DA LUSA RAÇA PARA QUE A PUJANTE SEIVA PÁTRIA LOGO JORRE!!!... (não, não é da "greve geral" que se trata)


A "pulga maldita" não passará!!!



(2012)
STREET ART, GRAFFITI & ETC (LXXXI)

Lisboa, Portugal, 2012





(parafraseando Leopardo, "pardon my french")

(2012)
AGORA, CONVÉM NÃO ESQUECER QUE A SAUDOSA MILU E SEU PAJEM, VALTER, TAMBÉM ACHAVAM QUE O FUTURO DA PÁTRIA RESIDIA NAS CRIANÇAS INDIGO

(2012)
DAS VANTAGENS E BENEFÍCIOS DA DEMOCRACIA QUANDO APLICADA À COISA PEDAGÓGICA (OU "PROFESSOR KARAMBA, E TU FICAS-TE?!!!...")


"A ideia chegou [à escola de Azarede do 2º e 3º ciclos] pela mão de um dos seus professores. Foi debatida no Conselho Pedagógico e levada depois ao Conselho Geral, o orgão que elege o director e que é responsável pela elaboração do projecto educativo e do regulamento interno da escola. No Conselho Geral têm assento representantes do pessoal docente e não-docente, dos pais, da autarquia e da comunidade local. Estavam todos presentes e a proposta de aplicar as técnicas do fosfenismo a alunos da escola foi aprovada por unanimidade". ("Público")
STREET ART, GRAFFITI & ETC (LXXX)

Paris, França, 2012



(2012)
LOGO VI QUE O REFERENDO NÃO IA ACABAR BEM...

(2012)

21 March 2012

NÃO É LAVAGEM, É BAPTISMO (COM ÁGUA BENTA)





JPMorgan fecha conta do Vaticano: "A filial italiana do banco JPMorgan terá informado o banco do Vaticano que vai encerrar a sua conta no próximo dia 30 de Março. Segundo avança a imprensa italiana, o JPMorgan classifica o IOR como cliente de risco. A justificar esta decisão está o facto do JPMorgan ter solicitado àquela entidade uma série de informações obrigatórias por lei no âmbito do combate contra actividades de lavagem de dinheiro (...) e o IOR (Istituto per le Opere di Religione) terá recusado prestar tais informações".

(2012)
ASSIM É QUE É: SERVIÇO PÚBLICO QUE É SERVIÇO PÚBLICO, REFERENDA DEMOCRATICAMENTE A REVOLUÇÃO! (há minutos, estava empatadíssimo...)


(agora mesmo, no site da RTP)

(2012)

20 March 2012

Farrusco Rameiro, Editor Temível






















(2012)
WE GOTTA GET OUT OF THIS PLACE






(2012)
L'OSSERVATORE ROMANO (XVIII)

Ciência política cristã 4


(cortesia de mr. apostate)

(2012)
SURPRISE!!!

Dívida total dos municípios ronda os 12 mil milhões de euros



(2012)
LIKE BUNNIES IN THE STREET



There's a song on Love At The Bottom Of The Sea called "God Wants Us to Wait". Have you ever encountered anyone who told you that?

Stephin Merritt - If you Google "God wants us to wait" there are whole websites about so-called abstinence education – as if one has to be taught how to not have sex. I went to elementary school partly in Boston, which is a very Catholic town, and there was a lot of talk about abstinence and guilt.

Obviously it didn't have much effect on you.

Stephin Merritt - It's actually a complicated issue for me because while I detest Christianity and think ethics are bunk, I also realise Aids more or less destroyed the argument that we should all fuck like bunnies in the street and that anyone who says otherwise is a moron. While it is true, obviously, that we should fuck like bunnies in the street, we need to be wearing the proper clothing while doing so. Anyway, it's a complex situation easily satirised with stupid but fun little songs such as "God Wants Us to Wait". (aqui)

(2012)

19 March 2012

... E, PELO MENOS TÃO ÓPTIMO COMO O MEU SATORI DE FIM DE TARDE, EIS... O FOSFENO PEDAGÓGICO!!!... QUE, APARENTEMENTE, JÁ CONTA COM DEVOTOS E SEGUIDORES EM ESCOLAS PÚBLICAS DO PEDAÇO

(2012)
AGRADECENDO O FOLHETO QUE ME DEIXARAM DEBAIXO DA PORTA (ONDE ESTAVA O ENDEREÇO PARA ESTE MARAVILHOSO SITE), EIS, FINALMENTE, A RESPOSTA À PERGUNTA QUE, DESDE SEMPRE, ATORMENTA A HUMANIDADE E UMA ENTUSIASMANTE DESCOBERTA CIENTÍFICA:



Deus sabia que Adão e Eva pecariam?

Estudo da Bíblia beneficia os surdos

(2012)
NECESSIDADES BÁSICAS
(sugerido aqui)


(clicar para ampliar)

(2012)
O MUNDO DO AVESSO


















Alex Winston - King Con


















Birdy - Birdy


















Sharon Van Etten - Tramp

Na edição do “Guardian” de domingo passado, Alexis Petridis, genuinamente admirado por ainda existirem nacos da história pop por desenterrar, dava notícia da sua descoberta do blog online, Women's Liberation Music Archive, baú de tesouros ignorados esclarecedoramente subintitulado “Feminist Music-Making in the UK and Ireland, 1970-1990”. E o que aí se encontra são (inúmeros) documentos escritos e audiovisuais de duas décadas que parecem, agora, incrivelmente longínquas, bem exemplificados pelo manifesto da Northern Women’s Liberation Rock Band“uma coligação de feministas de diferentes classes, origens étnicas e pontos de vista políticos – maoístas, libertárias, lésbicas, heterossexuais e uma transsexual” – que, ao dar-se conta de que, embora se empenhassem em múltiplas áreas de actividade, “continuavam a dançar ao som dos Stones”, decidiram organizar-se contra “o gang de parasitas masculinos ávidos de lucros que controla a música” e “transformá-la numa força dirigida contra eles”. A coisa respirará muito o espírito da época mas convirá recordar que, na altura, a presença das mulheres no cenário pop/rock – à excepção dos "girl-groups" da Motown, de algumas heroínas soul, de uma ou outra flor na lapela de bandas masculinas e de meia dúzia de "singer-sonwriters" – estava bastante longe de poder proporcionar a oportunidade de – como aconteceu na minha selecção dos melhores de 2011 – surgir um top-10 onde apenas um álbum tinha assinatura masculina.


Bush Tetras - "Cold Turkey"

Não foi necessária a introdução de quotas para modificar a situação mas bandas e personagens do punk, pós-punk e áreas adjacentes, como Lydia Lunch, The Slits, Patti Smith, The Raincoats, Bush Tetras e Laurie Anderson ou activistas militantes “com uma causa” do género das Bikini Kill – Kathleen Hanna publicaria, em 1991, o “Riot Grrrl Manifesto” – não só virariam o mundo pop do avesso como também permitiriam que três inevitáveis consequências daí decorressem: o conceito “girl power”, recuperado e convertido em marca comercial, passou a significar investimento com retorno garantido (Spice Girls, lembram-se delas?); o crescente número de mulheres na pop tornou-se um dado adquirido; descendências particularmente radicais (como as russas, Pussy Riot, actualmente ameaçadas com uma pena de sete anos de cadeia por terem ousado uma performance-relâmpago anti-Putin na Catedral do Cristo Salvador, em Moscovo) são encaradas enquanto radicais e não especialmente pelo facto de se tratar de mulheres. Mas também, naturalmente, ao abandonar o estatuto de espécie “protegida” em região demarcada, a fêmea pop (em particular, na subespécie indie) ficou vulnerável aos males que afectam a restante fauna.



Alex Winston é um óptimo exemplo disto: movendo-se num terreno que não se entende bem se é "mainstream" ansiando desesperadamente por ser visto como “alternativo” ou o seu inverso, na estreia, King Con, aplica-se na normalização daquela (suposta) excentricidade de que Kate Bush e a sua apóstola, Joanna Newsom, registaram a patente – e cujos timbre e maneirismos vocais Winston, diligentemente, mimetiza. Não se enganou quem já a classificou como “the sugary sound of weirdness”: o produto contém ingredientes tão peculiares como a poligamia, a observação entomológica dos traumas provocados por uma adolescência vivida em habitat Amish ou o desenvolvimento de relações românticas com objectos inanimados, mas todos incluídos numa sorridente ementa "à la carte" em que é possível optar por tempero folk, synth-pop ou exótico ainda que o foguetório eufórico dos refrães seja inegociável.



Birdy, entretanto, é o que só se pode designar por "case study" a manter sob rigorosa vigilância: revelada num concurso de talentos – o Open Mic UK, de 2008 – quando tinha doze anos, miraculosamente, Jasmine van den Bogaerde, de seu verdadeiro nome (e sobrinha-neta do actor Dirk Bogard), teve a sorte de, com sábio aconselhamento ou por iniciativa própria, optar por um reportório que autoriza a esperança de que, deste casulo, não sairá uma Joss Stone: canções dos National, Fleet Foxes, Phoenix, Bon Iver, The Postal Service, The xx ou (pronto, ninguém, muito menos aos quinze anos, é perfeito) James Taylor não são nenhuma nódoa em início de currículo embora a fórmula, quase única, de piano e voz (virtuosamente poderosa, logo, indesejável factor de risco futuro) tenda a esgotar-se rapidamente e a única peça da autoria de Birdy, "Without A Word", não seja exactamente transcendente.



Sharon Van Etten, finalmente, é outra demonstração dos imensos benefícios a colher quando se frequenta gente de confiança: "singer-songwriter", algures entre os abalos emocionais de Kristin Hersh e Nina Nastasia, mas que faz questão de manter Patti Smith e John Cale no radar, nos álbuns anteriores (“Because I Was In Love”, 2009, e “Epic”, 2010), mesmo recebendo os louvores de alegados pares do reino (Justin Vernon, Dave Alvin e os National fizeram releituras da sua "Love More"), deixara sinais de poder escorregar com alguma facilidade para os terrenos alagados do confessionalismo embaraçosamente autobiográfico. Agora, em Tramp, se não se afasta drasticamente daí, fá-lo, porém, com uma espinha vertebral sonora assaz mais consistente. Aaron Dessner (National) tomou conta da produção e, acompanhada pelo mano Bryce Dessner, Zach Condon (Beirut), Matt Barrick (Walkmen) e outras notabilidades, a música não se limita ao papel de afago dos textos mas, algo cinematicamente, intervém sobre eles, comenta-os e transforma-os em combustível para canções tensas e inteiras.

(2012)
TED - ANDREW BIRD



(2012)
A VERDADE DEVE SER DITA: ESTE GAJO É MUITO, MUITO, MAS MESMO MUITO PERSPICAZ!

Marcelo liga saída de secretário de Estado ao poder das eléctricas



(2012)

16 March 2012

UMA IMPORTANTE DELEGAÇÃO DO PENSAMENTO FILOSÓFICO PORTUGUÊS (ENTRE OUTROS, A DONA ISILDA DAS VAQUINHAS E DOS BOIZINHOS E O INSUBSTITUÍVEL VINGADOR DO TOTALITARISMO DO ORGASMO - AGUARDAM-SE A TODO O MOMENTO AS ADESÕES DO SÁBIO ARROJA E DA DOCE FILÓSOFA LAURINDA) LIDERA UMA PETIÇÃO A FAVOR DA REVOGAÇÃO DAS LEIS DA "REPRODUÇÃO ARTIFICIAL", DO "ABORTO", DO "DIVÓRCIO", DO "FINANCIAMENTO DO ENSINO PARTICULAR E COOPERATIVO", DA "EDUCAÇÃO SEXUAL", DO "CASAMENTO ENTRE PESSOAS DO MESMO SEXO" E DA "MUDANÇA DE SEXO"... COMO "INSTRUMENTOS INDISPENSÁVEIS PARA SALDAR O DÉFICE E A DÍVIDA"!!!... A FELICIDADE DE OS VER ASSIM TODOS JUNTOS É INDESCRITÍVEL

(cortesia de mr. apostate)

(2012)
L'OSSERVATORE ROMANO (XVI)

Dos milagres 3



(2012)
UUUUF!!!... AINDA BEM QUE NÃO TEMOS BOMBAS NUCLEARES...



(2012)
RECOLOQUEMOS, ENTÃO, EM EXIBIÇÃO O LABEL "H1N1", SEMPRE JOVEM E CIENTÍFICO


(2012)
"BUT IF MY THOUGHT-DREAMS COULD BE SEEN THEY'D PROBABLY PUT MY HEAD IN A GUILLOTINE..." (slight return)




(2012)