30 October 2011

INCÊNDIOS



June Tabor & Oysterband - Ragged Kingdom

Da última vez que me deixei convencer a passear por entre barracas onde se entoavam louvores às fulgurantes realizações do Grande Líder Camarada Presidente Kim Il-Sung e se denunciava empolgadamente a pérfida conspiração imperialista contra a gloriosa União Soviética, o argumento decisivo chamou-se June Tabor & Oysterband. A primeira edição da Festa do Avante na Quinta da Atalaia, em 1990, não teve a virtude de me fazer render às seduções alegadamente proletárias do Sol da Terra (que, aliás, só brilharia mais um ano) mas confirmou integralmente a minha incondicional veneração a June Tabor.



Nesse ano, tinha sido publicado o óptimo Freedom & Rain no qual – após preciosidades como Abyssinians ou Aqaba –, com a Oysterband, Tabor, em estado de graça folk-rock, interpretava temas dos Pogues, Velvet Underground, Billy Bragg e Richard Thompson, por entre tradicionais electricamente incendiados. Foi preciso esperar vinte e um anos para o reencontro mas cada segundo valeu a pena: Ragged Kingdom é, no mínimo, coisa da mesma estatura do tomo anterior.



Se a matriz é idêntica (tradicionais mais matéria-prima pop/rock a transfigurar), não há-de ser exagero dizer que Ian Curtis desejaria poder voltar à vida para escutar este devastador "Love Will Tear Us Apart" acústico, que PJ Harvey passará a ir em pereginação a todos os concertos de June Tabor tentar compreender o que se passou com "That Was My Veil" (Dylan acompanha-la-á em igual missão quanto a "Seven Curses"), e todos os fantasmas da vetusta Albion musical despertarão perante o som incinerador de "Judas (Was A Red-Headed Man)", ajoelharão diante das tão-boas-ou-melhores-do-que-Sandy-Denny-com-os-Fairports, "If My Love Loves Me" e "Fountains Flowing", e ficarão incapazes de articular uma sílaba, paralizados pelo coral a capella, "(When I Was No But) Sweet Sixteen".

(2011)
O QUE É UMA PORTA-VOZ DE UM EX-PRIMEIRO-MINISTRO?
É ASSIM UMA ESPÉCIE DE MÉDIUM?



A porta-voz (ao centro) numa conferência de imprensa

Sócrates nega pressões sobre deputados: "A notícia está hoje no 'Público', mas a porta-voz do ex-primeiro ministro desmente qualquer tipo de pressão sobre os deputados socialistas para votarem contra o Orçamento do Estado".

... e por que motivo, "não tendo, nem pretendendo ter, actividade política", um "nouveau philosophe" ex-primeiro-ministro precisaria de uma porta-voz/médium/oráculo?

(2011)
ST. VINCENT - "SURGEON"



(2011)
EXCLUINDO AS HIPÓTESES DO COLCHÃO E DAS ILHAS VIRGENS,
TALVEZ FOSSE DE SEGUIR A PISTA DO ROBALO MEALHEIRO



Face Oculta - Desapareceram milhões de Godinho: "principal arguido do Processo Face Oculta diz estar falido. Polícia não conseguiu encontrar o dinheiro ganho por Manuel Godinho"

(2011)
CEO DA VATICANO S.A. DENUNCIA CONCORRÊNCIA DESLEAL (II)

Papa denuncia mortes associadas à feitiçaria


(cortesia de mr. apostate)

(2011)

29 October 2011

Morton: Tell me, was it necessary that you kill all of them? I only told you to scare them.
Frank: People scare better when they're dying.


Once Upon A Time In The West - Real. Sergio Leone (1968)

(por enquanto, ainda em registo-Morton): "Dispensar pessoal é alternativa"; "Não há espaço para as pessoas que não queiram trabalhar, para a não produtividade, no Portugal de hoje"; "[o aumento de meia-hora de trabalho diário] É uma medida excelente para aumentar a produtividade. Se peca, é por ser pouco" (daqui por aqui)

(2011)
COMO É BELA, JUSTA E BOA A ALTERNÂNCIA DEMOCRÁTICA!...
(ou, mais correctamente, o alterne democrático)






(2011)
NÃO QUERO ARRANJAR PROBLEMAS COM A CATALUNHA (QUE TOMA
EXCELENTES DECISÕES E DE QUE SOU GRANDE FÃ) MAS SEMPRE FUI
DA MESMA OPINIÃO
(e até cabemos lá todos muito bem...)



Peces-Barba dice que a España le hubiera ido mejor con Portugal que con Cataluña

(2011)
NÃO SEI, MAS HÁ AQUI UM CERTO AR DE FAMI(G)LIA, NÃO HÁ?...




(2011)

28 October 2011

(O ANO A SEGUIR AO) ANO DO TIGRE (LXIV)

The National - "Twenty Miles To NH"



(2011)
VINTAGE (XLIX)

The Delgados - "All You Need Is Hate"



This was how I broke the best
Indifference, overblown with confidence and ignorance
It all made sense
And then I watched them take the test
I believe it’s better to inflict than to attempt relief
You ask me what you need
Hate is all you need

Hate is all around find it in your heart in every waking sound
On your way to school, work or church you’ll find that it’s the
only rule
Build a different world, hate will help you find what you’ve
been looking for
Hate is everywhere, inside your mother’s heart and you will find
it there
You ask me what you need
Hate is all you need

This was how I won the west
Charity, a joke that friendly cities think that we believe
Or so it seems
We kicked and punched and stabbed to death
And everyone applauded my fine actions I was overcome
You ask me what I’ve seen
Hate is all I’ve seen

Hate is in the air
Come on people feel it like you just don’t care
Everlasting hate feel it in the people where it’s warm and great


(2011)
PARECE QUE ISTO TAMBÉM É SERVIÇO PÚBLICO


























(daqui)
É VERDADE, FOFINHA, É MUITO COMPLEXO... MUITO COMPLEXO... E QUEM SOMOS NÓS QUE VOS PAGAMOS COM OS NOSSOS IMPOSTOS PARA DIZER QUE OS VOSSOS SALÁRIOS SÃO OBSCENOS? VÁ, VAI LÁ FAZER CAFUNÉ AOS POBREZINHOS DE ÁFRICA...



"Os apresentadores da RTP são um alvo fácil" (Catarina Furtado)

(2011)

26 October 2011

PODE SER SELVAGEM DIZÊ-LO MAS ASSISTIR AO ESQUARTEJAMENTO PÚBLICO DESTES CRÁPULAS SERIA APENAS UM PEQUENO PRAZER (PORQUE, FELIZMENTE, EXISTEM PRAZERES BEM MAIORES)


Custo acumulado do BPN no défice é maior que o corte nos subsídios de Natal e de férias

Edit (11:26 PM): a escala é infinitamente menor mas... será mesmo selvajaria?...

(2011)
POR SER TÃO INGÉNUA E OSTENSIVAMENTE
ANTI-SÓCRATES QUASE APETECE BATER PALMAS...



Olympia - Real. Leni Riefenstahl (1938)

Passos Coelho: "Só vamos sair desta situação empobrecendo"

... mas, mesmo que fosse (seja?) verdade, não se pode. Não se pode aplaudir. Nenhum doente terminal acredita que o caminho para a cura é o aprofundar da doença. Nenhuma criatura irremediavelmente feia aceita que a via directa de acesso à beleza seja o desfiguramento. Mesmo num país supostamente católico, tal "expiação dos pecados" . e os "pecados" de quem? - é demasiado repulsivamente judaico-cristã. Quem deseja verdadeiramente - à excepção das aberrações da Opus Dei - castigar o corpo para salvar a alma (seja lá isso o que for)? Perigo maior: contra a apologia do definhamento, como não contrapor o culto helénico do corpo saudável (dos vetustos antepassados dos nossos contemporâneos irmãos na desgraça) nas suas perigosas derivações "modernas"?

(2011)
A ESTRATÉGIA DA ARANHA (I)




(2011)

25 October 2011

STREET ART, GRAFFITI & ETC (LXXIII)

Grande Lisboa, Portugal, 2011














(2011)
SNOWY KNOWS ALL AND SNOWY NEVER TELLS



A propósito.

(2011)
FOOD FOR THOUGHT (VI)



"Na Eslováquia, a responsabilidade política passa directamente pelos bolsos dos políticos. Para começo de conversa, o salário dos deputados tem uma relação com o salário médio nacional. O texto que linko abaixo não a refere, mas uma pesquisa rápida diz-me que o salário de um deputado era três vezes superior ao salário médio. Era esta a relação considerada justa e necessária. Depois, com défices acima dos 7%, o parlamento voltou a olhar para a relação salarial, e optou por lhe acrescentar um pozinho: se o défice está acima dos 3%, os seus responsáveis (i.e., os altos funcionários do Estado, incluindo ministros e deputados) têm um corte salarial proporcional. Se o défice melhorar, retomam o salário anterior. Os incentivos para o cumprimentos de umas finanças públicas saudáveis não podiam ser maiores..." (daqui)

+ "É entristecedor ver como os recuos e as recusas se dão ao ritmo das notícias de jornais. A política está a reboque das notícias. Os ministros abdicam de subsídios não por imperativo moral mas porque foram 'apanhados'. É ridículo. Mas é esta a têmpera".

(2011)
UMA DAS ÚLTIMAS LIVRARIAS QUE SE PARECEM COM LIVRARIAS



Ordenados em atraso na Bulhosa

(2011)
ADMIRÁVEL CAOS


















Tom Waits - Bad As Me

Quando, em Março deste ano, com Neil Young na qualidade de anfitrião, Tom Waits foi admitido no Rock’n’Roll Hall Of Fame – o equivalente, na circunstância, à canonização pela Vaticano S.A. dos possuidores de superpoderes – fez questão de marcar distâncias relativamente aos perigos da institucionalização, declarando “Dizem-me que não tenho êxitos e que não é fácil trabalhar comigo... como se isso fosse um defeito!...” e, na sua muito privada forma de descrever o que é ser músico, acrescentou “As canções são apenas coisas interessantes que podemos fazer com o ar”. Como é habitual, poupa-nos trabalho: a personagem (razoavelmente estável ainda que em permanente evolução) fica suficientemente caracterizada e, daí em diante, trata-se apenas de encaixar os novos dados nos espaços livres da tabela periódica waitsiana.



Bad As Me – que, tal como Tom Waits provavelmente gostaria que acontecesse, já alguém (des)entendeu como “Bad Ass Me” –, por exemplo: décimo sétimo álbum de estúdio, sete anos após Real Gone (classificação mais elevada de sempre, no “Billboard”: #28) e cinco depois do esplendoroso compêndio de raridades extraviadas em formato triplo, Orphans: Brawlers, Bawlers & Bastards. Novíssima jóia que, antes de ser polida em estúdio, foi registada num gravador de cassetes “do tamanho da minha mão; é como fazer um desenho nas costas de um cartão de visita: não passa de uma tela”. E cujas habitantes “feitas com o ar” são apenas hipóteses estéticas de circulação rodoviária (“Com uma canção, construímos estradas em que, se tudo correr bem, outras pessoas viajarão”) que é indispensável localizar e capturar: “Temos de estar sempre à coca porque elas escondem-se. Fellini dizia que a morte se esconde nos relógios. Quem sabe onde se escondem as canções? Eu não”.



Terá sido até, talvez, ao flexível formato de Orphans... que Bad As Me foi procurar o design do bengaleiro onde dependurar cada tema que, entre revisitações convenientemente marinadas em ácido sulfúrico do romantismo dos anos-beatnick da Asylum (filão já explorado, sob apneia, em Alice, de 2002) e colisões frontais com o outro Waits (o do genialmente implacável Blood Money, publicado simultaneamente com Alice) sempre em risco de entrar em combustão espontânea, arruma, em explosiva contiguidade, desarmantes vulnerabilidades fora-de-horas com melodias de mel arrancadas ao granito, pianos ébrios e acordeões, como "Pay Me", "Back In The Crowd", "Last Leaf", "Kiss Me" (“I want to believe our love’s a mystery, I want to believe our love’s a sin, oh will you kiss me like a stranger once again”), ou "New Years’Eve" (com "Auld Lang Syne" a fazer de refrão e tudo) e selváticos massacres sonoros da estirpe de "Hell Broke Luce" (“When I was over here I never got to vote, I left my arm in my coat, my mom she died and never wrote, we sat by the fire and ate a goat, just before he died he had a toke, now I’m home and I’m blind and I’m broke, what is next?”), "Satisfied" (com língua de fora aos Stones: “Now Mr. Jagger and Mr. Richards, I will scratch where I’ve been itching”), "Get Lost", "Bad As Me", "Raised Right Men" ou caneladas disfarçadas de crooning (“We bailed out all the millionaires, they’ve got the fruit, we’ve got the rind”). A troika de guitarras – Marc Ribot, Keith Richards, David Hidalgo – provoca infinitamente mais danos do que a (menos desejável) outra, e o resto do temível corpo de intervenção (Casey Waits, Charlie Musselwhite, Larry Taylor, Augie Meyers, Flea,) assegura que, se nenhuma pedra fica sobre pedra, o caos que daí resulta é absolutamente admirável.

(2011)

24 October 2011

EPÁ!... CALMA AÍ... TAMBÉM NÃO VOS QUEREMOS VER A
DORMIR DEBAIXO DAS PONTES QUE SE NOS APERTA O CORAÇÃO...



A noite após a aprovação do Orçamento

Ministro da Defesa decide renunciar ao subsídio de alojamento

Secretário de Estado das Comunidades também abdica do subsídio de alojamento

+ este

Edit (06:47 PM): ... e ainda Governo concorda com fim da acumulação de pensões e salários de ex-políticos

(2011)
TUDO CONFORME: O ESTADO É O PASSIVO, A BANCA É O ACTIVO
(mas, de vez em quando, para desenjoar, podiam variar um bocadinho)


... se não for pedir muito...

Passos à banca: "Estado será accionista passivo"

(2011)
LEONARD COHEN: DISCURSO DE ACEITAÇÃO DO PRÉMIO PRÍNCIPE DAS ASTÚRIAS, OVIEDO, 21.10.2011



(continuando a pilhar o Lei Seca sob orientação externa)

(2011)
AKHMÁTOVA


Todas as tardes, pelas 19 horas, na RTP1

"António-Pedro Vasconcelos anunciou que a partir de agora se ia dedicar de corpo e alma à defesa do serviço público de televisão. Nada tenho contra o serviço público; mas há dias, num programa televisivo para o qual me convidaram, disse que telenovelas, concursos e futebol não correspondem ao meu conceito de serviço público. Na sua coluna de hoje do jornal Sol, APV diz que eu me referi a uma televisão que 'não existe', que é falso que a RTP1 transmita novelas, concursos e bola. Fui conferir a programação da última semana. E reconheço aqui publicamente o meu erro: 'Ribeirão do Tempo' e 'Poder Paralelo' são afinal óperas; o Basileia-Benfica é dramaturgia contemporânea; e 'O Preço Certo' e 'O Elo Mais Fraco' são, como os nomes indicam, documentários sobre Akhmátova". (daqui)

(2011)

23 October 2011

VINTAGE (XLVIII)

June Tabor - "Bridget O'Malley"



(2011)
"POR DECISÃO PESSOAL MINHA" (OLÁ MARGARIDA MOREIRA!...) = "MERDA! TOPARAM-ME!!!..." (mas era tudo legal, legalíssimo)



Ministro da Administração Interna renuncia ao subsídio de alojamento

(2011)
FOOD FOR THOUGHT (V)



Rage against the machine: "People are right to be angry. But it is also right to be worried about where populism could take politics"

(2011)
ENQUANTO O CEO DA VATICANO S.A. PROMOVIA (POSTUMAMENTE)
TRÊS FUNCIONÁRIOS DA EMPRESA, UM CONSUMIDOR DESCONTENTE
QUEIMAVA PUBLICAMENTE OS ESTATUTOS DA SOCIEDADE



(cortesia de mr. apostate)

Homem sobe para colunata durante cerimónia com Papa: "Um homem conseguiu subir hoje para a Colunata de Bernini, na Praça de São Pedro, no Vaticano, enquanto o Papa presidia no recinto à cerimónia de proclamação de três novos santos. Uma pessoa, identificada pela cadeia italiana como o comandante da Guarda do Vaticano, Domenico Giani, tentou convencê-lo a desistir da atitude. Enquanto isso, o homem queimou a Bíblia que tinha nas mãos"

(2011)
O ESPELHO


Video portrait

"A escritora islandesa, Gudrun Eva Minervudóttir, que falou a seguir, também em representação do país onde em média cada islandês compra oito livros por ano, falou no período conturbado por que passou o seu país com o crash dos bancos e lembrou que a literatura com a crise mostrou ser ainda mais importante pois é como um espelho que mostra tudo". (daqui por aqui)

(2011)
O TAVARES ESCREVE SOBRE VACAS E ANONAS?
(deve ter sido uma dica do Marcelo)



"Numa intervenção na cerimónia de atribuição do Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores, o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, deixou elogios ao vencedor do galardão, Gonçalo M. Tavares, que considerou ser 'um dos nomes indiscutíveis no panorama das letras contemporâneas'".

(2011)
OS SUSPEITOS DO COSTUME
(mas tudo legal, legalíssimo)



Gestores de topo com pensão vitalícia para ex-políticos

Os bonzos do Bloco Central em toda a sua resplandecente glória:

Carlos Melancia - 9 150€
Armando Vara - 2 000€
Jorge Coelho - 2 400€
Dias Loureiro - 1 700€
Ferreira do Amaral - 3 000€
Duarte Lima - 2 200€
Zita Seabra - 3 000€
Ângelo Correia - 2 200€
António Vitorino - 2 000€
Rui Gomes da Silva - 2 100€
Álvaro Barreto - 3 400€
Bagão Félix - 1 000€ (um pobre de cristo...)


Banda sonora recomendada

(2011)
BIG BROTHER IS DEFINITELY WATCHING YOU!



TURN ON GigaTag

(2011)
GARBOSOS FILHOS DO POVO ARMADOS, GENUÍNA GORDURA
INÚTIL DO ESTADO, POR UMA ÚLTIMA E DECISIVA VEZ,
COLOCAI-VOS AO SERVIÇO DA PÁTRIA E... EXTINGUI-VOS!




"Militares protestam contra austeridade a 12 de Novembro em protesto pelas “duríssimas medidas” que estão a ser impostas ao país e às Forças Armadas"

(... só para refrescar a memória)

(2011)

21 October 2011

CHARITY BEGINS AT HOME (II)



Ministro recebe subsídio apesar de passar a semana em casa própria na capital

(2011)
ISTO COMEÇA A PARECER MUITO ESTRANHO: MAIS DE 24 HORAS DEPOIS DE O "GRANDE AMIGO", "LIDER CARISMÁTICO" E "SÁBIO ESTRATEGA VISIONÁRIO" TER SIDO ABATIDO COMO UM CÃO TINHOSO, O NOUVEAU PHILOSOPHE NÃO DIZ NEM UMA PALAVRINHA CONTRA AS FERAS ASSASSINAS?... *



... e a academia que, no Centro de História da Universidade de Lisboa, em Dezembro de 2007, sorveu avidamente as pérolas de sabedoria do "Guia" sobre os "Problemas da sociedade contemporânea", mantém-se muda e queda?

* e isto já não é de agora...

(2011)
PODIAM, POR EXEMPLO, COMEÇAR POR AQUI (UM NOVELO QUE, BEM DESENROLADO, É CAPAZ DE CONTER MATÉRIA PARA UMA BELÍSSIMA SÉRIE POLICIAL)



Regulador das estradas admite ter sido alvo de "coação" por ex-secretário de Estado

(2011)
QUE FALTA FAZ ESTA TELEVISÃO PÚBLICA? (IX)


Nós pagamos o salário desta aventesma

A crise não chega às estrelas da RTP

(2011)
CASO O NOUVEAU PHILOSOPHE (HERDEIRO ESPIRITUAL
DO FALECIDO) NÃO SE OPONHA, ERA NACIONALIZAR JÁ
QUE SEMPRE DAVA UMA AJUDINHA...























Khadafi deixou 1300 milhões de euros na Caixa Geral de Depósitos

(2011)
SE A QUESTÃO NÃO FOR EXCLUSIVAMENTE
ECONÓMICA OU LABORAL/SINDICAL


"No horizonte está a hipótese de Nuno Crato avançar com a fusão das disciplinas de História e Geografia, o fim do par pedagógico de Educação Visual e Tecnológica (passando de dois professores para apenas um), o fim do carácter obrigatório da segunda língua estrangeira ou até a redução de horas a Educação Física". (aqui)

1) a ir por aqui, mais valeria extinguir ambas ou optar por uma só; assim, será puro desperdício de tempos lectivos;

2) há muito que deveria ter acontecido; e, já agora, com redução da (absurda) carga horária (recordar que, na anterior legislatura, toda a oposição votou contra esta medida);

3) o "fim do carácter obrigatório" significa que passa a ser facultativa - em alternativa com outras ofertas ou cedendo horas às já existentes? em qualquer dos casos, não parece mal;

4) disparate total;

5) proposta adicional: extinção da "Educação Religiosa e Moral Católica" - apesar de, actualmente, facultativa, as suas horas encontram-se incluídas nos horários; que sejam atribuídas a outras disciplinas por decisão de cada escola.

(2011)
RECORDAR É VIVER (XXXVIII)



Art. 17º do Decreto-Lei 496/80 do VI Governo Constitucional (Primeiro-Ministro: Francisco Sá Carneiro; Ministro das Finanças: Aníbal Cavaco Silva): "Os subsídios de Natal e de férias são inalienáveis e impenhoráveis".

(2011)
CONVENHAMOS QUE O MATERIALISMO HISTÓRICO JÁ VIU MELHORES DIAS... (I)



























... mas é sempre emocionante confirmar a persistência do maravilhoso politeísmo cristão - "Santo Cristo de La Grita, o mais antigo dos cristos" - como na história daquele velho pescador da Nazaré, descrente das virtudes do mercado livre, que desabafava: "A senhora de Fátima foi o diabo que apareceu à senhora da Nazaré!..."; imagem e inspiração roubadas daqui.

(2011)
L'OSSERVATORE ROMANO (V)


(cortesia de mr. apostate)

(2011)
VINTAGE (XLVII)

Hugo Largo - "Turtle song"



(2011)

20 October 2011

AGORA SEM FITINHAS MAS, ESSENCIALMENTE, O MESMO



O Orgulho de Ser Português

"Aquelas qualidades que se revelaram e fixaram e fazem de nós o que somos e não outros; aquela doçura de sentimentos, aquela modéstia, aquele espírito de humanidade, tão raro hoje no mundo; aquela parte de espiritualidade que, mau grado tudo que a combate inspira ainda a vida portuguesa; o ânimo sofredor; a valentia sem alardes; a facilidade de adaptação e ao mesmo tempo a capacidade de imprimir no meio exterior os traços do modo de ser próprio; o apreço dos valores morais; a fé no direito, na justiça, na igualdade dos homens e dos povos; tudo isso, que não é material nem lucrativo, constitui traços do carácter nacional. Se por outro lado contemplamos a História maravilhosa deste pequeno povo, quase tão pobre hoje como antes de descobrir o mundo; as pegadas que deixou pela terra de novo conquistada ou descoberta; a beleza dos monumentos que ergueu; a língua e literatura que criou; a vastidão dos domínios onde continua, com exemplar fidelidade à sua História e carácter, alta missão civilizadora - concluiremos que Portugal vale bem o orgulho de se ser português". (António de Oliveira Salazar, Discursos)

(2011)
UM MINUTO DE SILÊNCIO PELA PROFUNDÍSSIMA DOR DO
NEO-FILÓSOFO, NO MOMENTO DA MORTE DO GRANDE AMIGO




Forças líbias anunciam "ao mundo" que Khadafi "está morto"

(2011)
CHARITY BEGINS AT HOME (I)
(mas só repararam agora?)



Directores da PSP aumentaram em segredo o seu salário

(2011)